domingo, junho 10, 2007

SETE LUARES DE SONHO



No final de cada encontro

há sete mares de solidão,

sete vagas de loucura

sete sonhos em comunhão.

No final de cada encontro

há sete sois de candura,

sete luas de paixão

iluminando o caminho,

este atribulado retalho

da vida em turbilhão.

E neste calado cantinho,

por sete luares beijado,

passa o fogo da paixão

no final de cada encontro

feito de sonhos e solidão.

5 comentários:

nOgS disse...

E, depois de sete badaladas e sete estrelas cadentes abraças e beijas todos os setes que tocaram em ti.

Juℓi Ribeiro disse...

Luar:

Lindo!
Sentimento e musicalidade!
Teu talento se revela
em cada verso...
Passe lá no meu blog,
que deixei um humilde
mimo para você.
Um abraço carinhoso.*Juli*

irneh disse...

A magia do sete...
Gostei do poema.

JM disse...

Lindo, sentido e genial como sempre ;)

Bjnhs

Phantom of the Opera disse...

Este post parece um reflexo do meu momento.

Beijo bem doce

AS BRUMAS DOS TEMPOS

Guardo nos olhos as brumas dos tempos; de sonhos vividos e de desejos sonhados. Trilho os meus devaneios, sempre calados, ...