quinta-feira, agosto 23, 2018

THE DARK SIDE OF MY MOON



Num lago sem fundo nem cor,
onde o inicio e o fim se confundem,
se tocam e se fundem,
se agregam, desagregam sem pudor,
mácula, ordem, precisão.
É lá que reside a minha origem,
a essência do meu ser.
Sou filha de sol, e de lua por nascer,
de trevas e luz, caleidoscópio de vertigem,
baloiçando no limite da solidão.
Lado negro da minha eterna Lua,
onde o sol não se aninha, não brilha,
nem aquece ou ilumina. Apenas o frio trilha
rastos de bruma; eflúvios de alma nua,
neste espaço de limbo onde flutuo sem razão.
Porto seguro onde habito sem mostrar.
Meu lado negro, meu lado branco,
o meu lado sem cor, onde escondo e tranco
o que não digo, ao dizer calada.Sopro por gritar,
elevando-se, breve, na sombra da escuridão.
Nasci num lago de luz e obscuridade,
onde o sim é a imagem invertida do não,
e a alma é o avesso de um simples coração.
Olho a superfície, espelhada de claridade,
onde flutua uma alva rosa em botão.
Num lago, sem fundo e sem cor,
onde o equilíbrio é um pensamento de anjo,
o dia, um hálito de fada, uma lágrima que tanjo
como dedos de neblina. A noite, um deus menor,
que não sabe do principio e do fim de uma oração.
De lá emergiu um dia uma alma,
envolta em pétalas de dúvida e sonho,
em crédula magia de ser tristonho,
que cresce na sede de uma sonhada calma,
de um idealizado lugar de comunhão.
O lado negro da minha Lua
é a fase oculta do meu esquecido Sol.
Dele farei meu halo, meu perfume, meu lençol,
minha mortalha e meu hino; verdade crua
da metade que escapa, como água, da minha mão.
Meu refugio de aconchego; The dark side of my moon...



Lágrimas de lua

2 comentários:

Zilani Célia disse...

UM POEMA ONDE SOL E LUA SE CONFUNDEM E A PROCURA DE UM IDEALIZADO LUGAR DE COMUNHÃO FAZ UMA VIAGEM PELAS LETRAS E O ENCONTRA IDEALIZADO NA CALMA DA ORAÇÃO.
MUITO LINDO O QUE ENCONTREI POR AQUI.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Jaime Portela disse...

Um poema impressionante.
Gostei imenso, parabéns pelo talento e inspiração.
Querida amiga, bom fim de semana.
Beijo.

AS BRUMAS DOS TEMPOS

Guardo nos olhos as brumas dos tempos; de sonhos vividos e de desejos sonhados. Trilho os meus devaneios, sempre calados, ...