quarta-feira, setembro 05, 2018

ESCADAS PARA O INFINITO - Foto de Carlos Rolo

Foto de CARLOS ROLO



Encaneci nas esperas de verdes vestidas,
verguei o corpo, outrora esbelto, desfaleci.
Ao vento soltei os cabelos, nas sete partidas
do mundo; do meu mundo, e estremeci;
de fome? De frio? De abandono?
Ou apenas de árvore grácil à espera de um Outono?
Estendi os braços cristalizando a esperança,
atapetei-me de musgos, vesti-me de mansas heras.
O tempo percorre-me as veias na temperança
dos ocasos, de sonhadas auroras, quem sabe…quimeras?

Sei que guardo comigo as escadas para o infinito.


Lágrimas de lua

4 comentários:

saudade disse...

E onde nos leva o infinito? A tudo o que se desejar...
Beijo de ...
Saudade

Jaime Portela disse...

Não sei se a foto foi feita para o poema ou o poema para a foto.
Em qualquer caso, estamos na presença de duas excelentes formas de arte.
Parabéns pelo teu poema, foste brilhante.
Querida amiga, um bom fim de semana.
Beijo.

Jaime Portela disse...

Gostei de reler o teu excelente poema.
Amiga, um bom fim de semana.
Beijo.

A.S. disse...

Sim...o infinito leva-nos sempre aonde desejamos!
O infinito é o nosso mais doce refúgio. Será sempre!

Beijos de luar.

SILÊNCIO ENSURDECEDOR

Por entre as palavras mordidas e os silêncios demorados, decorrem os dias. Escorrem as horas e passam os anos. Moldam-se a...