quarta-feira, janeiro 09, 2019

LOST SPARKLES


Imagem retirada da net


Vai onde a vida te levar, mas vai inteira, não vás à toa.
Não deixes para trás a chama que te iluminou os dias,
que te pôs em movimento, que te deu alma.
Vai onde a vida te levar, mas vai erecta; na proa.
Senhora dos quereres que são os teus guias,
vai segura e vigilante por essa estrada de calma.
Não carregues o lixo, que te pesa sem proveito,
não leves as sombras de passados sem volta,
nem futuro sem esperança – vago, vão.
Mas a vida arrasta na torrente, perde-se o conceito
de lutar, de querer, de morder a dor e a revolta.
A vida leva de arrastão, em cambalhotas sem chão,
sem ar, sem cor, sem meta; passos sem direcção.
Perdeu-se a chama, perdeu-se o brilho vestindo o olhar.
É só a vida a passar, passando, sem deixar rasto, nem luz.
E sigo, bolha de estagnado ar, rolando sem água nem pão.
É só vida despida de tudo; nua, lapidada, a resvalar.
Monte de ressequida quimera, decompondo os dias que depus.

Onde estão as minhas Lost Sparkles of life?


Lágrimas de lua

3 comentários:

Jaime Portela disse...

Um poema soberbo.
Parabéns pelo talento.
Continuação de boa semana.
Um abraço.

saudade disse...

Vai onde a vida te levar.... mas não percas o brilho...
ele está dentro de nós e principalmente no nosso olhar...
Beijo e bom ano.
Saudade

Jaime Portela disse...

Gostei de reler este magnífico poema.
Querida amiga, um bom fim de semana.
Beijo.

AS BRUMAS DOS TEMPOS

Guardo nos olhos as brumas dos tempos; de sonhos vividos e de desejos sonhados. Trilho os meus devaneios, sempre calados, ...