sexta-feira, novembro 30, 2007

PELOS CAMINHOS

Pelos caminhos da noite, passo a passo de mansinho,

escoam-se os sentimentos, dores, mágoas p'lo caminho.

Na escuridão do vazio o silêncio faz-se voz,

retalhos de uma vida vivida numa passagem atroz.

Chove...Faz sol...Nada importa,

o tempo passa sem cor,

este barco já não comporta

nem mais um pedaço de dor.

Cruzo o espaço vazio como estrela cadente

num ténue raio de luz esmoreço, transparente,

pelos caminhos do mundo, alma penada somente,

nuvem desgarrada, rolando no céu eternamente.



(foto retirada da net - olhares)

3 comentários:

Anónimo disse...

Maravilhosas palavras...


Saudalunações

M@ri@ disse...

Ola
Permita me invadir este seu lindo espaço...
E verdade quando nos sentimos perdidos nada mais importa...
Sao lindos os seus textos.
Desejo lhe um lindo fim de semana com muita paz
Deixo um Big Kiss
xoxoxxx
M@ri@

Phantom of the Opera disse...

No universo existe uma luz
que se paga lentamente
navego rumo ao infinito
ao encontro de nada
porque já nada espero.

Como é belo o teu texto

Beijo

SEM AMARRAS ... SEM CHÃO...

Quando as amarras que nos predem ao chão, nada mais são que laças cordas sem vida, nós esgotados, rasgadas velas, farrapos em ferida. ...