sexta-feira, maio 15, 2009

PALAVRAS DE VENTO E CHUVA

Escrevo no vento as palavras que guardo

perdidas, trancadas em mim.

Escrevo neste tom sombrio e pardo

a escuridão fria e sem fim.

Escrevo na dourada manhã

com laivos de maresia,

cravo, canela e hortelã,

rosas bravas de magia.

Escrevo no vento e na chuva,

escrevo nas nuvens, no mar,

escrevo na lágrima que turva

o meu tristonho olhar.

Escrevo no coração em chama

com estilete cor de fogo,

este grito de quem ama

calado em mar revolto.