sexta-feira, março 26, 2010

MAIS UM DIA...


Um dia, outro dia, mais um dia.
Outro dia que passa na voracidade das horas
mal contadas, mal vividas, esquecidas
e longas.

Um dia, outro dia , mais um dia.
Onde as partidas se fazem sem demoras
e a nostalgia se agarra às vozes ressequidas
de desesperadas delongas.

Mais um dia, outro dia e outro dia,
nesta louca e rubra nostalgia
de ver passar somente os dias
em memórias de uma vida fugidia.

segunda-feira, março 08, 2010

IRONIA

Como a onda que intrépida se atira contra as rochas em dias de tempestade, como o vai e vem insano da força do mar.

Como as longas cabeleira de espuma e os lívidos olhos do oceano, como o desesperado escachoar do mar revolto.







Como as gotas de angelical orvalho no vidro, como as lágrimas de uma
qualquer dor de alma.

Como os sonhos desfeitos na falésia da vida e afundados nas profundas
águas encrespadas.






Como a dança louca das tresloucadas palmeiras, abanando sob a impiedosa mão do vento, como a ironia de um destino sem rumo dançando sob a mão do vendaval.

Como o abandono grisalho de uma vida às mãos duras do temporal, como o rodopiar da desconsertada melodia.





Como qualquer réstia de esperança vã caindo de um céu em turbilhão,
como os "dedos de Deus" por entre as nuvens na imensidão do espaço nu.
Como a força com que o naufrago se agarra à vida, como o sonho preso por uma qualquer teia de aranha solitária.


Assim passam os dias de irónica fantasia.