sexta-feira, dezembro 28, 2007

TOQUE

Suave o toque da tua mão!

O beijo transparente de saudade,

o corpo quebrado na paixão

do amor feito na cumplicidade.

Suave o perfume da tua pele,

os lábios molhados no meu colo,

as carícias, doces como mel,

árvore plantada no meu solo.



Suave o acordar ao teu lado,

ainda que de sonhos seja feito,

prender no meu o corpo amado,

canta-lo, vive-lo, torna-lo o eleito.

Suave essa tua mão em mim,

esse beijo etéreo por cumprir,

a doce ternura que não tem fim

num desejo imenso a florir.

quinta-feira, dezembro 27, 2007

PORTA FECHADA


Encerra-se a pesada porta devagar,

atrás dela ficam pedaços de uma vida;

Sorrisos, lágrimas, alegrias, feridas por sarar,

desejos, sonhos desvalidos, alma dividida

coração a chorar.

E nas dobras do caminhar

começa-se um novo livro em branco,

pronto para se encher de vida vibrante,

de novos sonhos, do sorriso franco

de quem se entrega confiante

nas mãos do verbo "amar",

ensina-me a conjugar

desse verbo, cada tempo,

cada estrofe desta vida, pedaços

migalhas de fraco alento,

festas, beijos e abraços

num eterno movimento.

Encerra-se a pesada porta do esquecimento.




domingo, dezembro 16, 2007

DESAFIO


Sem destino, parti á procura de uma eternidade feita dos desencontros desta vida.
Nas
palavras talhadas num vento que desfolha pétalas de sonhos meus, encontrei-me a sós com um tormentoso dia de brumas envolventes e frio glaciar. Nesse dia andei pelos caminhos da solidão dei passos de escuras memórias, acordei tormentos, desalentos, alegrias e tristezas com os meus passos. Esperei-te amor amado e espero-te ainda e sempre no vendaval das emoções, na macieza dos lençóis de linho, no perfume da pele nua e cálida beijada pela branca lua, nas nossas noite de paixão….Espero-te ainda nas horas que marcam os dias da ausência, nos segundos que ferem o coração mas que nos ensinam a singela lição que um amor quando o é de verdade cavalga as vagas da distancia, da ausência, da fria solidão, supera as ondas do desalento, os assaltos do mar das duvidas e da desistência. Essa lição amor, aprendo e tento viver todos os dias, porque simplesmente é uma lição de VIDA, nas nossas vidas.


Da nossa Whispers (que espero se encontre bem e feliz) recebi um desafio que só agora cumpro com todo o gosto (desculpa minha querida, mas o tempo não tem dado!) e que passo a todos/as que me dão o prazer visitar este espaço. Façam-no. Eu optei por prosa mas podem faze-lo em poesia, Consiste em pegar nos dez ultimos títulos dos vossos Post e fazerem uma "composição", prosa ou poesia...Deixo-vos o desafio! É muito engraçado e obriga-nos a uma ginática mental empolgante. Por agora fica a prosa, mas quem sabe não tento mais tarde a poesia....

quinta-feira, dezembro 13, 2007

"ESCRITORES DA LIBERDADE"



A nossa querida Juli do blog "Lagrimas e Sorriso" entregou-me mais um mimo. Se os outros que recebi sempre achei que eram um exagero, porque não merecedora, este então supera em larga escala!


Juli, obrigada pela ternura e pela amizade. e acima de tudo por me leres assim, mas olha que não mereço mesmo!



"Este prêmio foi criado pelo blog Batom cor de rosa que explica assim sua intenção:"Todos temos blogs pelo fato de gostarmos de escrever. Por prazer, profissionalismo, ou qualquer motivo pessoal. E a maioria gosta de escrever para liberar algum sentimento profundo, seja ele bom ou ruim. Escreve para se encontrar, para analisar a situação depois de algum tempo, ou naquela mesma hora, e também por essa paixão de por tudo no papel. E estou chamando esses blogueiros de Escritores da propria liberdade. Escritores sim, mesmo que amadores, que escrevem suas emoções, que não guardam tudo para si. Que compartilham tudo com pessoas muitas vezes estranhas(entre as conhecidas)... Escritores que admiro muito, por vários motivos, que se destacam de um jeito único, para cada uma das pessoas que os conhecem. Blogueiros que publicam a sua liberdade de expressão."

Passo este premio a;

Vitor Solano - mandalaspoemas.blogspot.


Nina - momentusmomentus.blogspot


Profeta - /profeciaeterna.blogspot.


Ana - analuar.blogspo


Gui - /coisasdogui.blogspot

FELIZ NATAL



O Natal.....




De tudo o que representa esta quadra e pelo muito que já perdeu ao longo dos anos, pelas nossas próprias mãos, esta palavra transformou-se num mundo louco de esbanjamento (e endividamento!) quando apenas nos deveriamos concentrar no verdadeiro NATAL.


Aquele "presépio" que no nosso coração deveria estar não numa semana, mas em todos os dias da nossa vida, o significado e a vivencia da "familia", o "querer estar porque se ama", o saber "olhar e ver".


A todos/as que me dão o imenso prazer da virem a este pequeno cantinho, de serem amigos/as desta que vos escreve deixo num beijo que vos reuna a todos e num xicoração apertado os votos de;


UM SANTO E FELIZ NATAL






segunda-feira, dezembro 10, 2007

LIÇÃO

Um dia aprenderei

que cada bofetada da vida

me faz crescer.

Um dia aprenderei

a não me sentir ferida

por quem não quer entender.

Um dia aprenderei

a não me mostrar inteira

ao mundo,

um dia aprenderei

que a regra primeira

é ser um lago profundo

onde ninguém mais toca.

Um dia aprenderei

que nem tudo "é" de verdade,

e que a cada fuso sua roca,

que há sempre a liberdade

para ferir quem se entrega

de uma forma simples e cega.

Um dia aprenderei

que confiar é um erro impar,

que se paga com o coração

e com a alma a soçobrar

de dor e desilusão.

Será que algum dia aprenderei?



sexta-feira, dezembro 07, 2007

VENDAVAL

Quando o vento despe as árvores do sonho,

quando a chuva arrasta as folhas caídas

como anjos tombados do céu.

O coração bate num lamento medonho,

raiz morta de sedes insanas e sentidas

veladas por acinzentado véu.




Quando a tormenta assola a alma

desnudando-a sem piedade,

com uma dureza fria e calma

marcando-a para a eternidade,

dobram os sinos, tocam a rebate,

choram as fragas, ruge a ventania,

escachoa o imenso mar.

Quebra-se na vida toda a vontade,

reza-se solitária a insana litania

de conjugar o verbo amar.

...E o vento despindo as árvores....Sempre

domingo, dezembro 02, 2007

ESPERO-TE



Espero-te nas dobras da noite silenciosa e dura,
no torpor de cada nova madrugada.
Espero-te nas horas de agonia e nas de alegria pura,
no amargo caminho feito de alma calada.
Em cada momento de eternidade traçado,
qual lençol bordado a retrós de sonhos,
espero-te no beijo, no abraço adiado,
paixão amordaçada em olhares tristonhos.
Espero-te a cada esquina da vida,
a cada passo, a cada hora, cada mero instante,
espero-te à chegada e à partida,
no delírio da dor da ausência constante.

Espero-te na imensidão do desejo
no fogo dos braços que não te prendem,
nos beijos que esperam o ensejo
para se te entregarem pois só a ti se rendem.
Espero-te na eterna espera,
espero-te no amor sem fim,
espero-te na doce quimera
que guardo silenciosa em mim.
Espero-te nas dobras da noite
e nas esquinas da vida.
Espero-te eternamente!