sexta-feira, abril 24, 2009

NASCEU O DIA???

Ainda há sol? Ainda há dia?

O meu respirar na aragem fria

é nuvem breve de nevoeiro sem cor.

Ainda há sol? Ainda há dia?

E os dedos crispados sem magia

roxos do teu vazio, da ausência, da dor.

Mas, ainda há sol? Ainda nasce o dia?

Então porquê esta máscara dura e fria.

esta adaga enterrada em mim sem piedade?

Este sol frio sem cor nem parceria,

sem sonhos, sem vida e sem idade.