terça-feira, maio 19, 2015

DESALENTO

Impossível agradar a todos, impossível…
Levanta a cabeça e continua mesmo quando te derrubam,
mesmo quando te esborratam os sonhos.

Impossível que todos te entendam, impossível…
Ergue os punhos, encarniça-te na luta mesmo se te empurram
para os buracos mais escuros e tristonhos.

Impossível que não te façam cair, impossível….
Mas põe-te de pé com nova alma
e pega arduamente nas tuas armas.

Impossível que não te critiquem, impossível…
Mas sê humilde e aceita-as com fleuma, com calma.
Agora não pares, desistas ou quebres! Será assim que desarmas

quem de ti nem o nome sabe


sexta-feira, maio 08, 2015

(DE) PRESSÃO, OU DESILUSÃO?


Abate-se, como uma tempestade, o vazio.
Este vazio que deixa o coração sem alma
e a alma sem coração.
Mesmo quando o sol brilha tenho frio,
olhando sem rumo a estrada calma
que piso sem nenhuma razão.

Abate-se, como milhafre atento, a escuridão.
Uma escuridão que estrangula a voz
e me deixa sem vontade.
Um vento do deserto assola-me em turbilhão,
povoa-me a vida de uma agonia atroz.
e me invade sem fazer alarde.


Toma conta de mim, alimenta-me de fel,
cobre-me de negro, transforma-me em pó.
Abate-se sobre mim com gestos de mel,
mas crava-me as garras frias sem dó.

Tudo gira a minha volta sem sentido,
O sol é uma bola amarela, mais nada,
O vento é um sopro duro e desabrido.
O corpo verga numa dor que se cala.

E o buraco negro do vazio sem fim,
vai, sem dó, tomando conta de mim…..