sexta-feira, fevereiro 27, 2015

ONDE SE ESCONDEM TODOS OS DEMÓNIOS













Lá onde se escondem todos os demónios da mente
e os olhos não podem atingir.
Lá nas profundezas do incógnito onde tudo se desmente
e a vida teima em prosseguir.
Lá onde as brumas se confundem com oásis ansiados
e as mágoas dão as mãos às alegrias loucas.
Lá onde os sonhos são náufragos desesperados,
despidos de todos os desejos, de todas as roupas.
Lá onde o sol se põe e a noite se levanta, prateada,
e os risos morrem aos poucos nos lábios vazios.
Lá onde a esperança dorme em penas aninhada
e os sonhos se debatem entre diamantes, rubis, topázios,
ágatas, ametistas, esmeraldas, ou apenas em negras brumas.
Lá, onde se perde a alma, onde os demónios habitam,
Lá onde o tudo e o nada são apenas encapeladas espumas,
lá onde o infinito é finito, e o sim e o não já não comunicam.

Lá…lá onde todos os demónios se escondem….

domingo, fevereiro 15, 2015

HOJE EU SEI...OU NÃO...

Hoje eu sei que a vida passa sem que possamos voltar,
Hoje eu sei que o que não vivo se perde sem se aproveitar.
Hoje eu sei que o amor é o motor para viver,
mas que não ter amor é o motor para morrer.
Hoje eu sei que cada lágrima pode alimentar uma semente
e que cada semente, se cuidada, pode ser “um sol nascente”.
Hoje eu sei que dos dias negros nascerá uma nova aurora,
e que das solitárias noites contadas hora a hora
um dia de sonhos e rosas eventualmente nascerá.
Hoje eu sei que jamais serei capaz de não amar.
Hoje eu sei onde quero estar,

 apenas HOJE eu sei que nunca lá vou chegar…..

terça-feira, fevereiro 03, 2015

LIQUIDA PAIXÃO

Pelas frases passam as lágrimas ecoam os sorrisos
como liquida paixão silenciosa.
Como pérola escondida nas dobras carnudas de uma ostra
perdida e esquecida no fundo do mar.
Pelas palavras escorrem as loucuras e todos os juízos
como liquida paixão harmoniosa.
Como raios de um argênteo luar que  se prostra
aos pés do poeta a sonhar.
Pelas sílabas diluem-se os desejos, amarrados e calados,
como liquida paixão impetuosa.
Como ondas alterosas que se entre chocam sem parar
nos corações inflamados, incendiados.
Pelas letras brincam os sentimentos inquietos acelerados, 
como liquida paixão ansiosa.
Como asas de querubim em voo breve a suspirar
pelas dobras dos delírios inconfessados...

Como liquida paixão silenciosa....