sexta-feira, agosto 28, 2015

30 DIAS DE VAZIO


Como o tempo corre e voa, como o tempo não perdoa.
Como o tempo se esvai por um brecha que não fecha,
e esta dor surda que me habita e dura me magoa,
é a flecha que trespassa um coração que fraqueja,
que vacila, que estremece e morre um pouco também.

Passa o tempo e a vida, passam as horas sem conto,
mas esta saudade aguda não passa nem se esbate.
Já passaram muitos dias neste surdo confronto,
nesta mágoa dura e forte que sobre mim se abate.
Passa o tempo e eu sigo lutando sem mais ninguém.

Como o tempo corre e pula, como a vida se escoa,
como bate o coração que a dor ainda povoa?


domingo, agosto 23, 2015

UM CAMINHO, SOMENTE

Sempre que cair, que eu tenha a força certa 
para me levantar e recomeçar.
Sempre que me desviar da minha meta,
que tenha força para continuar a tentar
encontrar o caminho.
Seja qual for o meu destino,
seja qual for a minha guerra, ou batalha,
a minha luta ou o meu estranho trilho.
Sempre que o coração doer e eu fique encalhada
em glaucos nevoeiros sem brilho,
que eu tenha força para querer,
para não desistir e apenas morrer.
Ainda que uma morte sem morte,
ainda que uma morte sem vida.
Sempre que eu caia de tal sorte
que já não adiante estar envolvida,
que eu me levante ainda, levante mais uma vez.
Que me vista de força e  cubra a minha nudez
de alma perdida sem norte.
Sempre que cair, que eu tenha apenas força....
Ou algo que me conforte.



sábado, agosto 08, 2015

FALTA-ME O CHÃO...

Falta-me o chão. Falta-me o dia. Faltas-me tu.
O tempo ainda é breve mas a solidão, essa é imensa!
Vou dando os passos que não posso parar,
porque a vida segue e o tempo urge.
Falta-me o chão, falta-me o dia, faltas-me tu.
sou um vulcão de sentimentos, sou uma corda tensa
que tento corajosamente não rebentar.
Cai de novo a noite e logo um dia surge.
Falta-me o chão, falta-me o dia, faltas-me tu.
Tudo em mim chora e dói de uma forma intensa,
desmesuradamente dura, profunda a magoar. 
E eu sigo a viagem, mas tudo se insurge
contra este andar...Falta-me o chão...Faltas-me tu!