sexta-feira, fevereiro 15, 2008

JOGUETE DA VIDA

Como peça de xadrez,
rei, cavalo ou peão,
sou apenas vez após vez,
o aconchego desta mão
que se te estende mansa.
Sou a vaga e simples lembrança
de um porto de abrigo na noite,
sou o que falta para a unidade
sem a coragem que afoite
a dar o passo da eternidade.
Como peça de um puzzle imenso,
onde não me encaixo ou pertenço,
ando aos tombos pelos espaços
(não há nenhum que me acolha).
Entre os rabiscos e traços
a minha peça não tem escolha
estará sempre descartada,
do baralho separada.
Como peça de xadrez,
neste puzzle sem sentido,
trilho duro de aridez
em mil passos percorrido.

8 comentários:

Black Rose disse...

De facto a vida é um jogo, por vezes perdemos outras ganhamos, mas o importante é jogar, arriscar e não ser um mero espectador...

Poema fantástico, muito bem construido...

jo ra tone disse...

É apenas um lindo poema,

não é um quebra-cabeças.
Tem que se dar sentido ao puzzle, mesmo que tarde em chegar.
Bjiito

Gui disse...

Um autêntico xeque à rainha? Não o jogo só acaba com um xeque ao rei. E tu vais consegui-lo e vais ganhar o jogo. Um beijo minha querida.

O Profeta disse...

A melodia do teu canto reverbera no tempo
A lonjura é o momento do abraço
O teu sorriso chegou ao meu silêncio
Solta palavra doce no espaço



Uma torrente de emoções espera-te


Bom domingo



Doce beijo

jo ra tone disse...

Então ninguém me dá os parabéns pelo meu aniversário!
Sinto-me como o”calimero”.

Whispers in night disse...

Ola querida amiga!
A vida é um jogo, devemos saber perder e ganhar.
Poema maravilhoso, tens alma bem de poeta, sai dos teus dedos sentimentos de emoção
Que tenhas uma linda semana, com tudo do melhor deste mundo
Beijinhos mil em teu coração
Rachel

Ana disse...

Absolutamente gtenial.

Abraço:)

Ana disse...

Correcção: "genial"