quinta-feira, dezembro 10, 2009

INVASÃO DO VAZIO


Um sopro de ar vindo da alma

do mais profundo do ser,

lança nesta aparente calma

a saudade do querer,

a invasão do vazio que morde

pela madrugada.

Cada momento é um acorde

de uma guitarra quebrada

em estranha melodia.

Tão oca sinfonia!

Um sopro de fria verdade

evade-se do fundo do ser,

vem de manso, sem alarde,

vem matando e a morrer.

Notas quebradas de vida

que a vida já esqueceu,

e na fúria da alma sofrida

entregou as armas e morreu.

Acordes vindos do nada

rasgando a alma à desfilada!

2 comentários:

jo ra tone disse...

Amiga,
O poema está muito bom, mas o vazio é dificil de observar.
Beijinho
Bom fim de semana

Whispers disse...

Minha querida amiga
Obrigado pelas tuas palavras, teu carinho me aqueceu o coração
Tenho alguma dificuldade de estar na net, mas não era capaz de não passar pelo teu lindo blog
Pra te deixar mil beijos e te dizer que amizade não conhece distancia, simplesmente conhece a cor da outra alma
Mil beijos no teu coração de ouro de uma amiga distante