segunda-feira, março 08, 2010

IRONIA

Como a onda que intrépida se atira contra as rochas em dias de tempestade, como o vai e vem insano da força do mar.

Como as longas cabeleira de espuma e os lívidos olhos do oceano, como o desesperado escachoar do mar revolto.







Como as gotas de angelical orvalho no vidro, como as lágrimas de uma
qualquer dor de alma.

Como os sonhos desfeitos na falésia da vida e afundados nas profundas
águas encrespadas.






Como a dança louca das tresloucadas palmeiras, abanando sob a impiedosa mão do vento, como a ironia de um destino sem rumo dançando sob a mão do vendaval.

Como o abandono grisalho de uma vida às mãos duras do temporal, como o rodopiar da desconsertada melodia.





Como qualquer réstia de esperança vã caindo de um céu em turbilhão,
como os "dedos de Deus" por entre as nuvens na imensidão do espaço nu.
Como a força com que o naufrago se agarra à vida, como o sonho preso por uma qualquer teia de aranha solitária.


Assim passam os dias de irónica fantasia.

6 comentários:

jo ra tone disse...

Saudação especial a todas as mulheres, neste seu dia
Beijinho

rita disse...

É bom que passem depressa! ;)

A.S. disse...

Partilho em grande parte cada palavra do teu belo texto. Na verdade cada dia se torna mais dificil saber onde acaba a fantasia e começa a realidade...


Beijos...

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta

Doce beijo

O Profeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dark angel disse...

Tenho seguido de perto este cantinho desde que o descobri. A cada post descubro novas visões e principalmente porque elas reflectem uma sabedoria somente conquistada pela vida.

Dediquei-lhe um selo no meu blogue. Se o quiser aceitar, passe por lá.
Um beijo.