sábado, abril 24, 2010

ANIVERSÁRIO


A neblina matinal cheira a musgo,

cheira a pinheiro e alfazema,

à tímida violeta. À caruma molhada.

Hoje a rima fugiu sem destino

mergulhou no silencio duro e doce

que envolve a memória e a dor.

Que envolve a saudade e o sorriso amargo.

Escondida entre os pinheiros sábios

está a alma, o coração, o sentimento,

está um sopro de vida.

E a neblina cheira a vida, a musgo

verde, a terra túrgida e perene.

Em conciliábulo de deuses passam as horas

mortas; Vivas de memórias e sonhos

de desejos e lágrimas.

Hoje a neblina tem um cheiro profundo,

um lágrima no rosto, um nome nos lábios

e uma dor de saudade cravada no coração...

A neblina cheira a musgo verde de saudade.

3 comentários:

rita disse...

Tenho a certeza que, de onde está, te vê, e recebe com uma paz imensa tudo o que escreves. beija boa

Whispers disse...

Minha querida amiga

quando se sente com tanta emoção, aquilo que és capaz de escrever, sabemos que foi escrito com a tinta do coração.

Querida,tenho um selinho para ti no meu whispers, quando poderes e tiveres tempo e claro se quiseres o vai buscar.
Desejo do fundo do meu coração que tudo esteja bem contigo, e que seja o que for que te faz afastares deste teu caminho que seja só coisas que te dão prazer e te fazem bem a alma.
Mil beijos desta amiga, distante,mas presente em teu coração
Rachel

A.S. disse...

Os aromas campestres são deliciosos!!! e fazem uma combinação divina com as lágrimas da lua...


Beijos
AL