terça-feira, novembro 25, 2008

INVERNIA

No frio da estrada deserta

ecoam os passos pedidos

martelando a calçada.

De alma nua e desperta

entre soluços sofridos

de lágrimas enfeitada.

Soam os passos sem rumo

pelas pedras desbotadas,

como folhas arrancadas,

páginas feitas de fumo.

No frio deserto da noite,

escorrendo, o silencio magoa.

Barca de negra proa

sem porto que a acoite.

As pedras de olhos baços

engolem os passos perdidos,

escrevem no eco os traços

dos sonhos desvanecidos.

E só o frio trespassa, gélido

sem piedade...



4 comentários:

rita disse...

Quando o interior está confortado com amor, não há frio que trespasse. E tu tens muito amor contigo...look inside you!
BJS

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga, está frio lá fora mas o teu coração está quente de amor e ternura... Adorei!
Votos de um bom Domingo... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

jo ra tone disse...

Lindo poema,
Cara amiga, neste periodo frio de Inverno, que melhor para fazer aquecer o coração.
Espero que tudo esteja bem por aí.
Um beijinho

© efeneto disse...

Olá amigo/as.
Venho por este meio agradecer a todos aqueles que tiveram a amabilidade de por todas as vias me endereçaram as melhoras e tiveram a paciência de esperar. Aos poucos e na medida do possível irei retomar as publicações no “Grito” agora renovado e as visitas aos amigos.
Porque o tempo urge e a amizade espera, vou começar a colocar as visitas em dia.
Beijos a quem é de beijos e abraços aos restantes.
©efeneto