sábado, janeiro 17, 2009

MAR DE PALHA


Mar de marasmo e desilusão

onde flutua uma triste jangada

de pedra.

Mar de liquida escuridão

onde escachoa a água salgada

que se quebra,

na proa oscilante da frágil existencia,

nos remos cansados sem resistencia,

na madeira carcomida da solidão,

na lágrima teimosa da desilusão.



Mar de palha já sem cor

onde ecoa o tempo vivido.

feito pedra.

Mar de arrasto sem pudor

onde se perde o amor sentido

que se quebra.

Mar de liquida tristeza,

mar de infinita frieza,

mar de louca paixão,

mar de dolorosa desilusão.






Sem comentários: