sexta-feira, junho 11, 2010

SOMBRAS DO MEU CAMINHO...


Acordam as doces sombras do caminho

que trilho em passos lentos sem fim,

nos ramos das árvores em cada ninho

aconchega-se a vida sem mim.

Nas veredas desta oca vida

que passo a passo se percorre,

entre lágrimas e sorrisos dividida,

o coração lentamente cala-se e morre.

Doce morrer entre o arvoredo,

entre as sombras das veredas!

Doce olhar à volta, e sem medo

partir suavemente envolta em sedas,

em carmim e verde água,

entre azuis e lilazes de saudade.

Alma que deslizas sem a mágoa

que um dia te feriu sem piedade.

Acordam as doces sombras do meu caminho...

Sem comentários: