quinta-feira, março 05, 2015

ALVAS PENAS, RUBRAS PAPOILAS


Cobre o meu corpo de alvas penas, suaves e perfumadas,
cobre os meus olhos de liláses sombras e ocasos vermelhos.
Cobre a minha alma de negro veludo, desata as lágrimas amordaçadas.
absolve as minhas mágoas em desfiados evangelhos.
E absolve os meus medos em rosários de orvalho.
Faz dos meus passos uma valsa, um tango grisalho
onde as memórias se perdem, e os anos vem morrer.
Cobre o meu corpo de verdes heras, e papoilas rubras
cobre os meus lábios de poemas ainda por dizer,
e que a névoa com que me envolvas e cubras
seja o trilho de alvoradas ainda por inventar,
seja o etéreo vestido da virginal noiva no altar.
Mas cobre o meu corpo de sedosas pétalas, odorosas,
brancas, rosa, vermelhas, amarelas, liláses, a desfolhar.
E cobre os meus olhos de sonhos e às mãos ansiosas
ensina-as simplesmente a saberem dedilhar

as dobras da vida e as esquinas deste caminhar.


4 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Dizer seja o que for, estragarei a magia das tuas palavras.

Abraço-te, sente, sei que é difícil, mas pode ser confortante.

Beijinho no teu coração

A.S. disse...

Tão belo!... Tão real!...

Retenho a tua voz de poeta,
atravesso as noites com asas de seda
para não acordar o silêncio
que se deita na manta onde
apenas brilham as lágrimas
de uma lua feita de paixão...

Beijos,
AL

saudade disse...

Sinto tristeza nas tuas palavras... mas faz do teus passos uma valsa ou um tango e sê feliz...
Beijo de...
Saudade

Helena Medeiros Helena disse...

"cobre os meus lábios de poemas ainda por dizer"

E por certo, amiga, ainda irás nos brindar com preciosos poemas, como este que nos chega como uma oração em pedidos tão pungentes quanto belos.

Com toda a certeza irás
"dedilhar as dobras da vida e as esquinas" deste teu caminhar com a mesma aptidão com que transitas pelo mundo da poesia.
Sorrisos e estrelas nas horas da tua semana, meu anjo!
Com carinho,
Helena
(novidades lá no meu cantinho...)