segunda-feira, novembro 16, 2015

REGRESSA A CALMA

A calma da noite branda penetra pelos meus poros abertos
sedentos de paz e serenidade, de silêncio e calma.
Tudo se aquieta no veludo sedoso de tranquilos desertos
que pela noite se escoam inundando o coração e alma.
A noite, eterna conselheira, vem envolver-me nos braços,
esses braços, ternos feiticeiros que embalam a dor
e afastam os fantasmas. Que desfazem os medos em pedaços
e iluminam as trevas, põem brilho e luz e até dão cor
á mais dura solidão. A noite invade-me mansa e suave,
como se todas as dores morressem ao seu toque mágico,
como se a escuridão e o silêncio fossem a chave
que abre todas as portas, desvenda até o segredo mais trágico.
A noite branda e serena é o balsamo que me invade a vida,
que me devolve a alma em requebros de uma calma ansiada
e a pulso conquistada. É minha de novo! Una, não repartida.
Invade-me a noite, a minha noite! Tão minha! Tão bem amada!



3 comentários:

saudade disse...

Que a noite seja uma eterna companheira de coisas boas.... de sentimentos bons....
Belíssimo post...
Beijo de....
Saudade

Vieira Calado disse...

Para mim também, a noite é a melhor parte... do dia!

Saudações poéticas!

Flor de Jasmim disse...

Olá minha querida Amiga

Hoje vim apenas deixar o meu beijinho.

Até breve.

Adélia