domingo, outubro 16, 2016

DEPOIS? DEPOIS A VIDA....TALVEZ




Calam-se os sentimentos, enterrados vivos, no fundo da alma, 
ou poço sem fundo, ou abismo sem volta.
E depois? Depois a vida, depois o amanhã, o continuar.
Matam-se os sentimentos onde nada importa, nem a calma,
nem a ira, nem a dor, nem mágoa ou a revolta.
E depois? Depois... o nada, ou o tudo, depois o acreditar.
Olhos no céu, ensombrado e negro, céu de tempestade,
céu de desolação e tormenta.
Mãos no mar, profundo, tão doce quanto traiçoeiro,
tão belo quando feroz. Quanto pode o amor? A amizade?
Quanto pode o perdão, se a dor aumenta?
Como navega o barco que perdeu o timoneiro?

Porquê? será a eterna pergunta de um alma magoada,

em busca, silenciosa e contida, arrepanhada de ausência.
Enxovalhada de abandono, na dúvida amortalhada.
A um tempo leve, dura,  de efémera existência.

Calam-se os sentimentos, caídos num qualquer poço sem fundo,

abafados de sonhos, despidos de lutas inglórias  e duras,
tombados na batalha da vida, feridos de desprezo.
Calam-se os sentimentos, amortalhados neste mundo,
para que passem ao oblívio, sendo apenas memórias puras
de onde se expurgou o veneno. Maldade e menosprezo.
E depois? Depois... a vida, o amanhã... o que for....

6 comentários:

LuísM Castanheira disse...

Em cada abismo há o inverso do olhar: um céu a despertar...

Flor de Jasmim disse...

Tão triste, tão profundo!

Minha querida um grande beijinho no teu coração.

Jaime Portela disse...

Nem sempre o amanhã é o resultado do ontem e do hoje. Mas acho que vale a pena perdoar, sempre. E bem-aventurados os que acreditam. Como sou agnóstico, não tenho fé e, por isso, o depois é uma incógnita que não me preocupa.
Excelente texto/reflexão, minha amiga, gostei imenso.
Tem uma boa semana.
Beijo.

Zilani Célia disse...

OI LUAR!
MUITAS VEZES É NESTE DESAMPARO DOLORIDO DA PERDA,,QUE NOS RECONSTRUÍMOS.
IMENSAMENTE TRISTE E BELO, VALENDO MUITO PELO ENCANTO QUE NOS TRAZ À ALMA.
ABRÇS

http://zilanicelia.blogspot.com.br/

lua prateada disse...

Oi Linda...
Pelo que vejo continuamos as duas sem rumo e vendo as coisas um tanto ou quanto péssimas ou!...vendo a realidade...
Saudades...
Beijo meu
Lua de Sonho

Jaime Portela disse...

Gostei de reler o teu magnífico texto.
Fico à espera de novo post.
Querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

FORMAS NO IMPONDERÁVEL

Imagem retirada da net Há formas na inconstância do informe, do disforme, do que amarro, com nós górdios, em silêncios gritant...