domingo, outubro 29, 2006

ATÉ AO INFINITO...




Por uma gota e orvalho suspensa na teia
que a aranha diligente teceu,
por uma lágrima fugidia que patenteia
uma dor que a vida concedeu.
Por uma mão aberta em ansiosa espera
de uma outra que nela se recolha,
por um olhar meigo que desespera
de encontrar quem o acolha.
Por uma vida que aos outros se entregou,
pelos lábios que jamais voltarão a beijar,
por todas as horas que a tua vida doou,
por todas as palavras que ficaram por recitar....
Até ao infinito!

3 comentários:

Juℓi Ribeiro disse...

Que delicadeza e sensibilidade ao retratar uma teia de aranha! Que linda e talentosa maneira de descrever sentimentos!
Fiquei deslumbrada com cada palavra sua.
Um abraço carinhoso.*Juli*

igara disse...

Por todas as palavras que escreves,
Que remetem a Sentires e Emoção
Por todos os momentos com que brindas,
Sempre que escreves com Coração,
Enfim, por tudo....obrigada! :)
Beijos mansinhos e abracinhos apertadinhos...

Gui disse...

O meu lado de fotógrafo ficou logo preso no primeiro verso: Por uma gota de orvalho suspensa na teia". Um tema fantástico para uma fotografia fantástica. Desde que o fotógrafo seja fantástico...o que não é o meu caso. Um beijinho