sexta-feira, janeiro 27, 2012

SONHO EM FARRAPOS

Feita de brumas insondáveis e vazios incontornaveis

são os desmandos de uma vida.

Desfeitos os sonhos, mortas as esperanças impenetráveis

como rosas desfolhadas na partida.

Suspensos os beijos no adeus que doeu,

perdidos os braços no abraço que morreu,

soluçados os desejos no tempo que terminou

no breve segundo que um suspiro levou.

Feita de densas brumas sem luz nem espaço,

são as veredas de uma vida cativa.

Poema sem rumo, palavras sem tom, pequeno pedaço

de um esfarrapado sonho sem perspectiva.

Feita de brumas...Feita de brumas...Feita de brumas,

tristes, insondáveis, dolorosas e impenetráveis brumas.

4 comentários:

rita disse...

CANSAÇO EXTREMO = SONHOS EM FARRAPOS
hoje já volta a haver sonhos e vontade de acreditar neles.

A.S. disse...

Até quando uma flor resiste
sem um olhar a sustê-la?
Afasto as brumas... e olho-te!
Em ti a vida pulsa. Quero vê-la!...


Beijos,
AL

ana costa disse...

Delícia minha amiga... apesar da tristeza, talvez amargura? que o envolve este é de certeza um poema lindo!
Um beijo minha amiga

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sei do que falas no teu poema, as palavras que saíram da tua alma tocou a minha de tanto que me disseram.

Beijinho com carinho
Sonhadora