sexta-feira, fevereiro 10, 2012

POMBA BRANCA

Uma pomba voa de asas alegres abertas ao sol,


cabeça leve de olhos vivos e brilhantes,


rasga os céus inebriada e louca.


Voa porque é livre, voa porque é jovem,


voa em direcção a sonhos distantes


lindos! perfeitos! cabecinha oca.


E a pomba voa, pelo passar dos anos,


ainda acredita, ainda tem sonhos, ainda tem vigor,



conheceu a magoa, conheceu a dor e os vis enganos


mas voa alegre, voa com pujança, voa com ardor.


E a pomba voa, vão pesando as penas, desfiando o rol


de sonhos desfeitos, tristezas caladas,


desejos rasgados, sombras que se movem


sobre o seu voar de asas cansadas.


E a pomba morre, morre devagar a cada voo magoado,


as asas cortadas, desfeitas as penas pelo seu penar.


E a pomba morre num ultimo voo cansado


já não olha o céu, as nuvens o mar,


morre branca e doce, morre devagar.

6 comentários:

Flor de Jasmim disse...

O poder da pomba está na esperança de alcançar seu destino com mais ou menos sofrimento ela apenas dexiste de voar quando suas asas são roubadas.

Beijinho e uma flor

rita disse...

ciclo da vida, mas....nunca deixa de voar!

ana costa disse...

É assim a vida, voamos em meninos em direção aos sonhos,em adultos voamos na constante procura da sua realização.
Mas a velhice nos apanha cansados de tanto voar, muitas vezes sem nada trazer de volta...
Um beijo amiga

A.S. disse...

Não! A bela pomba branca não morreu!
Apenas adormeceu,
Exausta pelo cansaço do voo.
No seu corpo frágil,
repousam ainda todos os sonhos,
todos os desejos,
todos os voos...

Beijos,
AL

Secreta disse...

Há-de renascer a pomba branca e voar de novo pelo infinito.

Sonhadora disse...

Minha querida

Enquanto houver sonhos...nunca deixaremos de voar, mesmo que em fantasia.

Um beijinho com carinho
Sonhadora