sábado, setembro 22, 2012

ALMA PELA NOITE

Os sons do mundo lá fora entram pela janela aberta,
o ar fresco da noite embala as cortinas docemente.
Tenho a alma incolor, inodora, fria e silenciosamente deserta,
e o coração bombeia o sangue como sempre, compassadamente.
O mundo "pula e avança" nas palavras do poeta,
o mundo jaz moribundo, atirado a uma qualquer praia deserta.
O mundo é a bola colorida entre as mãos de uma criança,
o mundo é uma amalgama de destroços onde fenece a esperança.
Mas ruge e agita-se o mundo, sem cessar, sem rodeios,
preso, agrilhoado, o que for! mas vibra a cada momento.
E a minha alma soçobra devagar, cai de mansinho sem devaneios,
apaga as luzes ténues de uma inocente credulidade, sem um lamento.
Pela minha janela aberta, chegam os sons do mundo, incoerentemente.
Pela minha janela aberta sai a minha alma fria e apagada, tristemente.

10 comentários:

Flor de Jasmim disse...

que não nos seja fechada essa janela para poder continuar a entrar os sons em bom som.
Adorei minha querida, fez-me bem ler-te, senti força e esperança, ao fim de mais umas horas valentes passadas no hospital no acompanhamento á minha mãe que teve ontem um AVC muito profundo.

Beijinho e uma flor

Flor de Jasmim disse...

Obrigada minha querida pela força no meu cantinho!

Beijinho e uma flor

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida
Como sempre ler-te é ler-me a mim é sentir o frio na alma e a noite no corpo e a solidão envolvendo cada respirar.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

O Profeta disse...

Este pensador, viajeiro entre Sois
Esta Ave pousada em mil embarcações
Esbarco que passa sem vela ou remo
Esta arca repleta de vibrantes emoções

Esta mestiça flor de açafrão
Este ramo de espinhos cravados na mão
Esta alma que não ousa largar opinião
Este homem vestido de solidão

Bom domingo

Doce beijo

A.S. disse...

Pela tua janela, amanhece sempre à hora em que devia ter anoitecido!


Beijos,
AL

Flor de Jasmim disse...

Voltei para deixar o meu beijinho e uma flor.
Fica bem amiga.

O Profeta disse...

Sopram ventos de melancolia
Transparente é o cinza que a tua alma encerra

A minha pobreza é a falta de um par de asas
Encontrei um lugar de reinvenção das sombras
Pensei virar as costas ao tempo e ao deslumbramento
E aí houve estranhamente o amanhecer das minhas palavras

E passei para te deixar


Um mágico beijo

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

Flor de Jasmim disse...

Voltei para deixar o meu beijinho e uma flor.