quinta-feira, maio 30, 2013

SUPENSO SEGUNDO



Deixa-me apenas viver o segundo em que respiro,
nada mais que este suspenso segundo em que nada importa,
nem o riso, nem a lágrima, nem o sol nem a lua.
Deixa-me apenas absorver a vida neste suspiro,
neste brevíssima nota que nada mais comporta;
Nem sonhos, nem desejos, nem sensatez nem loucura.
Deixa-me apenas vogar, intemporal, neste segundo,
neste limbo perdido entre o cá e o lá,
entre o querer e o não querer, amar e desesperar.
Deixa  o meu arroxeado olhar desvanecer-se no mundo
que de braços abertos me aguarda em hora boa ou má.
Deixa-me apenas ser um suavíssimo respirar,
sem tempo, sem rumo, sem norma ou finalidade.
Deixa-me somente afundar na dura realidade
que é este breve segundo do meu respirar.....

5 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Minha querida amiga
Não sei que dizer, fiquei com um nó na garganta e as lágrimas a correrm, palavras as tuas que me revi nelas, não saio em silêncio, porque te quero dizer, abraço-te, sente-o sei que é dificil, mas pode ser confortante.

beijinho e uma flor

A.S. disse...

Apenas num breve segundo pode ressurgir um universo!...
Apenas num breve segundo pode
acontecer uma vida!...
Apenas num breve segundo pode
acontecer o infinito!...
Apenas num breve segundo pode
renascer um sorriso!...
Apenas num breve segundo pode
nascer o poema!...

Beijos,
AL

Nilson Barcelli disse...

Eu deixo, mas depois disso tens que respirar... eheheh...
Mais a sério, o teu poema é magnífico, gostei imenso.
Minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Guilherme Duarte disse...

Passando para deixar um beijinho.

Flor de Jasmim disse...

Voltei princesa simplesmente para te deixar o meu beijinho e uma flor