sábado, maio 07, 2016

INUNDA-ME ESTA FORMA DE VIDA


Inundam-me os vazios que não sei preencher,
e as horas que se arrastam sem préstimo nem regra.
Inundam-me as chuvas diluvianas a crescer
e as noites que a ventania desintegra.
Inundam-me os ses e os porquês,
estrangulam-me os nãos e os talvez.

Inundam-me as paredes brancas e frias,
as nuvens que no céu se arrastam devagar.
Inundam-me ecos de memórias sombrias
e de risos e alegrias que passaram sem parar.
Inundam-me os ses e os porquês,
estrangulam-me os nãos e os talvez.

Inundam-me os silêncios e as dúvidas,
as dádivas, as trocas, os vazios a dor que não passa.
Inunda-me a vida e as sombras desvanecidas.
Inunda-me a morte e a saudade que devassa.
Inundam-me os ses e os porquês,
estrangulam-me os nãos e os talvez.

Inunda-me o som dos tambores de guerra
e os nevoeiros doces da silenciosa e mística serra.






1 comentário:

Helena Medeiros Helena disse...

E ao nos sentirmos inundados por todos estes elementos é como se o universo estivesse a nos brindar com uma plenitude tamanha que torna o nosso sentir receptivo a qualquer forma de vida.
Um belo poema a nos mostrar que dentro de nós pode coexistir (e deve!) todos os componentes díspares, as dualidades, os senões e os porquês, pois só assim poderão ser assimilados na sua totalidade, com o aval da nossa isenção. Lindas as imagens criadas, o sentido dado a cada verso! Como sempre, minha linda, tens sempre a poesia tecida entre os dedos.
Grata pela emoção transparecida no teu comentário lá no meu espaço. Soubeste bem tocar o cerne dos sentimentos que me acometeram nessa data. Cada dia, amiga, é uma batalha a vencer, uma curva a avançar, passos e gestos que tenho de coordenar para que os tropeços não tenham vez neste meu caminhar. Mas vou conseguindo reerguer-me através da profissão e do carinho de familiares e amigos. Muito obrigada, sempre, pelo carinho a mim dedicado. Saiba que também te gosto muito e estou sempre a desejar que nunca faltem nos teus caminhos os sorrisos e as estrelas, elementos que são verdadeiras benesses em nossos corações.
Com carinho,
Lena

FORMAS NO IMPONDERÁVEL

Imagem retirada da net Há formas na inconstância do informe, do disforme, do que amarro, com nós górdios, em silêncios gritant...