domingo, junho 05, 2016

PEGADAS NA PRAIA DESERTA


Mais uma onda num oceano sem fim,
mais uma onda de tristeza simples e crua.
Mais uma onda que se despenha em mim,
encapelada de espuma, bela, mas fria e nua.

Apenas mais uma onda numa praia deserta
onde a mágoa grita alto sem que a escutem os mortais.
Só mais uma onda sobre a rocha descoberta,
com o sol pintando a prata os seus traços intemporais.





E como um grito de tortura e de beleza sem igual
eleva-se a espuma bem alto! Nobre e viva, viva e nobre.
É bela na sua singeleza de uma alvura sem rival.
Apenas uma alva onda neste areal despido e pobre.

Com ela grita a minha'alma e o coração magoado,
mas é tamanha a beleza desta espuma alva e pura
que a dor se desvanece neste recanto sossegado.
Mais um toque de magia nesta vida já tão dura.




Pegadas na areia que a maré levará mansamente
como se jamais houvessem existido. Marcas de vida,
marcas de passos, de desejos sonhados inutilmente.
Pegadas infinitas na finitude de uma praia perdida.

Pegadas solitárias, definidas, distintas e sem destino,
rumo aos rochedos onde se despenha a espuma
da sucessão dos dias e das noites profundas e sem tino.
Pegadas, somente pegadas esperando pela salgada bruma.....



Sem comentários: