domingo, agosto 21, 2016

FALSA ETERNIDADE


A eternidade é um momento. É a duração de um sopro de fada,
de um suspiro de onda a requebrar na areia de uma praia deserta.
A eternidade é eterna enquanto dura. É só uma curva na estrada,
na estrada de uma vida, de um sonho, de uma luta incerta.
A eternidade é uma bola de sabão soprada por um querubim,
ou anjo, ou talvez demónio.Ou um deus dos mares sem fim.

A eternidade é uma quimera. Pobre de quem nela mergulha,
acredita e luta, e se esforça e se empenha! A eternidade é finita.
É um estrela cadente rasgando a noite em que se embrulha,
com que se veste e enfeita. A eternidade é imperfeita mas bonita.
A eternidade pode ser um tufão, devastador e incontrolado,
pode ser uma brisa do mar, ou um vulcão amotinado.

A eternidade é um momento, breve como um arrepio,
a eternidade é eterna, apenas enquanto dura o momento.
A eternidade é só um sonho, o mais louco desvario,
o mais tenebroso desengano e doloroso tormento.
A eternidade é apenas um engano do tempo.




2 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Que lindo! Descreves a eternidade de uma forma tão bela, fico sem palavras.

Beijinho minha querida.

P.S. desculpa a minha ausência, mas...tu sabes amiga.

Helena Medeiros Helena disse...

A eternidade é sim, meu anjo, "um engano do tempo" que a gente teima em expandir para além do nosso parco conhecimento...

FORMAS NO IMPONDERÁVEL

Imagem retirada da net Há formas na inconstância do informe, do disforme, do que amarro, com nós górdios, em silêncios gritant...