quinta-feira, junho 12, 2014

RE-ESCRITO


Porque o sim é quase sempre um não,
 e o tempo se escoa por brecha invisível,
os dias passam escorados numa inútil razão
numa torpe explicação inaudível.
E as mãos agarram o vazio escuro,
e o coração bate desordenado e decadente.
O olhar eleva-se para um céu ainda puro
em busca de um rumo que o oriente.


Se o sim fosse apenas sim sem mais pensar,
se a tristeza nada mais fosse que um breve momento,
se o vazio não fosse destruidor como um sismo,
a vida seria amena.

Ah se o pensamento fosse tão forte como o mar!
Se o desejo fosse tão imperioso como o vento,
se o amor fosse tão profundo como o abismo,
então a vida seria plena.

2 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Triste, mas com a sua própria beleza.
Amei ler-te minha querida.

beijinho e uma flor

Nilson Barcelli disse...

"se o amor fosse tão profundo como o abismo
então a vida seria plena"

Um excelente poema. Gostei imenso.
Tem um bom fim de semana, querida amiga.
Beijo.