segunda-feira, junho 02, 2014

TÃO PROFUNDO COMO O MAR




Se o pensamento fosse tão forte como o mar,
se o desejo fosse tão imperioso como o vento,
se o amor fosse tão profundo como o abismo,
então a vida seria plena.

Se o sim fosse apenas sim sem mais pensar,
se a tristeza nada mais fosse que um breve momento,
se o vazio não fosse destruidor como um sismo,
a vida seria amena.

Mas o sim é quase sempre um não,
o tempo escoa-se por brecha invisível,
os dias passam escorados numa inútil razão
numa torpe explicação inaudível.
E as mãos agarram o vazio escuro,
e o coração bate desordenado e decadente.
O olhar eleva-se para um céu ainda puro
em busca de um rumo que o oriente.

3 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Profundo o teu poema minha querida, falas de uma realidade que é um sentimento muito poderoso que nada podemos acrescentar na nossa vida, por mais ansiosos que estejamos.

beijinho no teu coração e uma flor de mim na tua mão.

A.S. disse...

Leio as tuas palavras
e recordo um timbre de voz
que ainda conhece
o murmúrio das labaredas...


Beijos...
AL

Nilson Barcelli disse...

Este teu poema é soberbo.
Principalmente a primeira parte.
Penso, aliás (desculpa a ousadia), que o poema ganharia se passasses os primeiros 4 versos para o final e passasses os últimos 9 versos para o início com um pequeno retoque.
O poema seria o mesmo, mas seria a crescer até ao fim...
Enfim, a poeta és tu. Eu sou o leitor... Mas só te disse isto porque o poema é mesmo muito bom e ainda pode ficar melhor... Se fosse assim-assim, nem te dizia nada...
Desejo que tenhas um bom fim de semana.
Beijo, querida amiga do luar perdido...