quarta-feira, novembro 02, 2016

MULHER TERRA...POR NAVEGAR





imagem: espacoalpha


Mulher terra: teu corpo amortalhado de invernia
guarda cioso as sementes dos Verões por nascer
e as chuvas que choram ensopando a cercania,
os prados e os campos que o sol fará florescer.
Mulher terra: trazes no ventre a esperança,
nas mãos passam as contas do teu rosário de dor.
E nos olhos, que o mar alcança, pedes a temperança,
rezas a inclemência, semeias trabalho e amor.
Mulher terra: teus pés são gaivotas sem dono nem chão,
e teus olhos são lagoas por onde adormece o Verão.
Mulher terra: teus seios – uvas doces – intocados de solidão,
teus cabelos as raízes que dão vida e perdão.
Mulher terra: sofrida de tanto penar, orar, esperar,
és pedaço de solo fértil que mãos duras não sabem arrotear,
nem arados, nem foices, nem enxadas sabem onde começar,
porque tu, Mulher terra, não tens principio nem fim para mostrar.
Mulher terra: confundes-te com o solo e as plantas a crescer,
mas és também onda azul a rebentar: gaivota breve fugidia,
és o tudo e o nada que na lava veio lutar e veio morrer.
És a hortênsia que teima em ser flor, embora singela e tardia.
Mulher terra: soluças como a terra em convulsão,
amas como se não houvesse mais perdão,
dás teu corpo às intempéries para que nasça o pão.
És somente Mulher terra enfeitada de azul, verde e carvão.
Mulher terra: porque choras? Por que lágrimas te perdeste?
Por que rios te esvaíste e por que mares navegaste?
Que gaivotas e milhafres teus olhos guardaram no muito que já viveste?
Quantos barcos e arpões arremessaste? E que pão do diabo já amassaste?
Mulher terra: somente mulher, deitaste raízes profundas, cravadas em solo duro,
bebendo das águas da pobreza, das privações e da luta.
Mulher terra: que és semente, és flor, és mar, és suporte de amor puro
de beleza sem igual. Um dia o teu corpo, em eterna escuta,
vai saber ser nuvem, ser margem, ser casca de noz arrojada…vai  apenas navegar.


5 comentários:

Jaime Portela disse...

Um texto impressionante. Para ler e reler, saboreando cada frase, cada palavra.
Gostei imenso.
Continuação de boa semana, querida amiga.
Beijo.

luna luna disse...

Muito lindo e completo, mulher terra é a semente que semeia ao dar á luz seus frutos de amor.
bjs

LuísM Castanheira disse...

homenagem a esse ser Mulher, que é tudo é tudo dá.
que é mãe, filha, irmã, amante;
o nosso berço e alimento;
a paixão e o amor;
a vida herdada e delegada; transmitida
e gerida; gestação e doação.
dessa Mulher-Terra, a semente, que germina e faz gente; que tudo dá e tão pouco recebe.
deixo-lhe um pequeno texto, sem pretender ofuscar o seu, tão intenso e belo:

Mulher
um dia, um ano, uma vida
... na minha vida,
há a mulher
com um Deus por dentro
e ternura no olhar.

abraço-te, como se o Mundo fosses tu.

(dia internacional da Mulher)
lmc
postado em https://alemabarca.blogspot.pt/2016/04/mulher.html?m=1

Helena Medeiros Helena disse...

Luar, minha linda e tão doce amiga: fiquei aqui sem saber que tipo de comentário poderia ser feito ante um poema de tamanha grandeza como este que nos ofereceste agora. Confesso que sempre estou me 'intrometendo' nos versos dos poemas dos amigos, imiscuindo sentimentos e emoções, extraindo sensações, e desta forma, passear pelos poemas é a minha maneira de dizer da admiração que a poesia em mim despertou. Mas o teu "MULHER TERRA...POR NAVEGAR" é um poema de tamanha expressão, de tanta grandiosidade, que não se deve por ele passear e e nem teria como nele navegar, sob pena de se cometer o pecado imperdoável de macular a sua essência.

Registro apenas a minha admiração, minha amiga, que bem sabes está sempre a abranger toda a tua obra literária. E aqui, mais uma vez, o lamento por não teres ainda um livro publicado...

Meu anjo, as tuas palavras lá no meu cantinho sempre me tocam a alma e se acomodam no coração. Confesso que estou tentando com todas as forças disponíveis superar de forma mais saudável esta fase tão doída da minha vida. Há dias que consigo este intento, levantar com uma melhor disposição e enfrentar o dia sem me focar nas lembranças que estão constantemente a me assaltar quando alguma palavra ou citação do acontecido é salientado numa conversa. Mas tenho fé de que um dia as lembranças se tornarão menos sofridas e somente aquelas que ornamentaram uma alegria, que permearam uma felicidade, hão de vir à tona para suplantar as menos favoráveis... Estou apostando no tempo, minha querida, para colocar bálsamo nas feridas. Por enquanto vou apenas vivendo...

São belas todas as imagens, todas as definições, mas quero encerrar meu comentário com esta que de beleza tanta me tocou de forma comovente a alma:
“Mulher terra: trazes no ventre a esperança,
nas mãos passam as contas do teu rosário de dor.
E nos olhos, que o mar alcança, pedes a temperança,
rezas a inclemência, semeias trabalho e amor.”
Que as horas do teu Domingo venham plenas de tudo aquilo que planejaste, acrescido de mais algumas coisinhas que vão enfeitar ainda mais o teu dia.
Um beijo nesse teu coração tão lindo, com a imensidão do meu carinho.
Leninha

Delfim Peixoto disse...

Mulher terra, o exemplo da necessidade de publicar a sua obra.