quarta-feira, março 28, 2018

"HÁ LODO NO CAIS"

Calei a manhã que nascia, no olhar.
Esfumei as brumas do desejo na aragem
que do poente se levanta, breve, doce,
como caricia de flores, de folhagem,
de rosas escondidas em outono precoce.
Calei a mágoa vazia que crescia, a torturar.
Toquei o infinito, a eternidade que dura um momento,
que tem forma de água e alma de vento,
que se veste, como nova pele, como um prolongamento
de mim para fora de mim, num silencioso lamento.
Lancei-me no verde inventado para lá de um mar
que já não navego.  Ondulante de sonhos desamados,
ou de amados sonhos para sempre amordaçados.
Vesti-me de brumas, enfeite-me das utopias dos desarmados,
dos pobres e dos ricos, dos que da vida foram enjeitados.
Amei um amor que não existe, amei até não saber mais amar.
Dilui as sombras em profundas águas azuis, amarrei o barco no cais,
onde o lodo é branco e as pedras longas despedidas de partir.
De partir sem voltar, de voltar sem sair, de nau sem estais.
Pintei uma tela de encanto, oca de vida, um eterno mentir.
Lancei-me num caleidoscópio de inicio e fim a pelejar.
E voltei ao nascer, e corri ao morrer, e fui pássaro e bruma,
fui hoje e ontem, mas jamais o amanhã; esse, a Deus pertence,
não á humana vontade. E cresci e perdi. Arrojei-me à espuma
de cada dia que passa, e nos teus olhos desenho a dor que vence,
a dor que verga, o vazio que preenche, e o sonho que adormece


como o “Lodo no cais

Lágrimas de lua






2 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Fico sem palavras quando te leio, só sei que é lindo, cada frase que leio até arrepia.

Que tenhas uma Páscoa Tranquila minha querida.

Beijinho enorme no teu coração.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Oi querida amiga minha e da saudosa Leninha, vim especialmente desejar a ti e aos teus uma Feliz Páscoa! Tudo de bom! Deixarei um poemeto que fiz para homenagear os amigos. Grande abraço. Laerte.

FELIZ PÁSCOA

Autor: Laerte Sílvio Tavares

Que a luz da ressurreição
De Cristo Nosso Senhor
Brilhe no teu coração
E se refrate em amor,

Permeando a tradição
De fé, a dar esplendor
Às festas pascoais que são
Frutos da Paixão e dor

Transformadas em alegria
De Madalena, Maria
E de toda a humanidade!

Feliz Páscoa, pela via
Do amor – nossa luz e guia
Na fé e na caridade!

A LONJURA DO MAR

Há auroras que são imensas plenas e densas. Há sorrisos que são poemas sem gráficos nem teoremas. Há sonhos que morrem n...