sábado, novembro 04, 2006


Se o sonho morresse hoje, inconformado e rouco,
se a vida se transformasse em pétalas sem cor,
se os teus dedos não aflorasem os meus cabelos molhados,
se os teus lábios se perdessem por entre as dobras da vida
e deles apenas sobrassem os beijos que já trocamos.
Se o meu cristal se quebrasse em mil pedaços sem jeito,
se o meu pé deslizasse e para o abismo me arrastasse
sem ter como voltar à vida.
Se eu perdesse esse teu olhar que de manso me acarinha,
se o teu corpo se afastasse sem retorno do meu espaço,
meu amor eu morreria.
Sem pena me tornaria apenas uma gota de orvalho.

Sem comentários: