quarta-feira, novembro 29, 2006

BRANCA, GÉLIDA...A LUA


Do mais profundo do gélido luar,
o bafo branco da clara noite
vem de manso para se aninhar
no meu corpo, pedir-lhe que acoite
mais este beijo, que vem profanar
a pureza deste noite de encantar.
Da mais branca e distante lua
soltam-se mil raios de luz
que me percorrem a pele nua,
lembrando-me a dura cruz
de só de longe te poder amar,
só de leve te poder tocar.
Do mais gélido e profundo luar,
eleva-se apenas esta voz,
o nosso mutuo murmurar
"este amor, é de nós para nós".

1 comentário:

Ana Luar disse...

Pleno em doação... como pleno é o amor.