sábado, janeiro 13, 2007

AMOR SEM RIMAS


Hoje adormeço nua, nos teus braços,
porque é assim, amor, que me procuras,
que me encontras sem embaraços
nas nossas noites ternas e maduras.
Hoje amor, rendo-me mansamente
à pressão doce do teu corpo
que no meu repousa meigamente,
e na dança louca deste corpo
que ao teu se entrega inteiramente.
Hoje amor, sou tua, e és meu, apenas,
hoje a noite e o dia fundem-se em nós,
as horas são nossas e passam serenas
quando, perdidos, estamos entregues e sós.
Hoje o tempo pára, o mundo escuta
os nossos incontidos suspiros de amor
que a noite serena e resoluta
guarda em ondas de eterno fervor.
Hoje adormeço nua nos teus beijos,
no teu corpo vivo, palpitante e desperto,
porque me buscas em todos os desejos
e me tens inteira de alma e corpo aberto.

5 comentários:

Juℓi Ribeiro disse...

Belíssimo poema!

Parabéns poetisa
das lágrimas da lua!

Neste texto o amor
pode até não ter rimas
mas o descrevestes
de forma doce
e transparente!

Beijo.*Juli*

igara disse...

Luar, já há muito que não lia um poema de entrega tão plena, tão cumplice, tão inteira!
Gosto mesmo do teu Amor sem Rimas, que se sente na Alma, e se escreve com coração!

Beijos e abracinhos do tamanho do Mundo! :)

Ana Luar disse...

É a fome, de quem ama…de quem, não pode ficar calada.
Lindooooo Lindoooooooo!
mil beijos minha luar amiga.

Vlad disse...

... que me soaram a rimas de/com Amor
;)

sonharamar disse...

simplemente lindo, parabens