terça-feira, janeiro 23, 2007

SEDE DE TI


Cada dia sem ti é um dia de Invernia,
o sol esconde-se envergonhado
e o céu fica escuro, perde toda a magia,
coberto de nuvens, tão desolado!
Cada dia sem ti é um mar sem cor,
uma praia deserta, areal sem vida.
É um grito mudo de imensa dor,
que jorra do coração aberto em ferida.
Cada dia sem ti é um mundo deserto
uma floresta morta, planta adormecida,
semente seca, regato calado apenas coberto
de folhagem velha e esmaecida.
Cada dia sem ti é um pesado suplicio
é morrer um pouco aqui e agora,
é amar-te de longe, meu sacrifício,
de querer-te sempre, sem tempo nem hora.
Cada dia sem ti, amor….Não faz sentido!

4 comentários:

CIsne NegroI disse...

Vim aqui parar sem saber como, mas em boa hora o fiz. Gostei muito do teu blog. Um beijo

CIsne NegroI disse...

Obrigado pela tua visita e pelo teu simpático comentário. Vou continuar a postar histórias picantes e ousadas, mas irei tentar nunca cair na ordinarice. Espero continuar a merecer a tua visita. Beijo.

Vlad disse...

Um bonito desfi(l)ar de imagens que exprimem muito bem o que é a ausência do ente amado. Quando se ama é mesmo assim. E quando se junta a isso a inspiração nasce poesia ;)

Vlad disse...

Não consigo resistir a ir aqui dizer que, depois de ter lido vários poemas deste blog, senti um novo alento para continuar as minhas tentivas de escrita.
Gostei muito e identifico-me bastante com a tua forma de escrever (simplicidade e intensidade) e com os temas que escolhes ou te escolhem (o amor, a realidade actual...).
Os meus sinceros e sentidos votos de continuação de grande inspiração, para prazer de quem te lê.
;)
Parabéns