sexta-feira, abril 27, 2012

LIMBO

Como pétala arrancada da corola,
como folha enrugada levada pela ventania,
como salpico de espuma ancorado no nada.
Como ave sombria em doirada gaiola,
como barco perdido em lenta agonia,
como grito mudo em boca calada.


Como gota de orvalho sem brilho, na madrugada,
levada pelo vento; Vazia,  somente empurrada.

5 comentários:

Flor de Jasmim disse...

Triste!
Com uma beleza muito própria.
Palavras que me dizem muito, tal como as minhas lágrimas são os meus gritos abafados.
Bom fim de semana

Beijinho e uma flor

Ana Martins disse...

De uma tristeza cortante mas, muito lindo!

Beijinho,
Ana Martins

A.S. disse...

Por vezes, os dias são o absurdo do tempo que em nós fica doendo...


Beijos!
AL

rita disse...

Estás cheia de força, eu sei que sim, estou aqui :)

Secreta disse...

Um sentir que doi...