domingo, setembro 23, 2007

ESPERO-TE....SEMPRE

Espero-te a cada nova madrugada
a cada raiar de uma qualquer aurora,
espero nesta ânsia desesperada
de te apertar ao peito aqui e agora.
Espero-te a cada amanhecer
na macieza dos nossos lençóis,
espero-te no manso entardecer
do canto doce dos rouxinóis
que nos embalam cantando nos beirais.


Espero-te na noite escura e densa,
plena de mistérios prateados de luar.
Espero-te, e a dor é como uma prensa
matando o coração devagar,
sofrendo, sofrendo, sofrendo demais!
Espero-te em cada esquina que cruzo,
em cada longo e mudo instante,
espero-te, desejo-te, uso e abuso
do amor que transborda hiante
em mim a cada segundo que não te tenho.
Espero-te e desespero-te, amor ausente,
amor amado, amor querido, terno e carente.
Continuo, amor, à tua espera….Porque não te tenho.

5 comentários:

Lu@r disse...

Deixas-me sem palavras perante a beleza das palavras.

Dessa maneira até eu estou na tentação de ir e ficar.

Beijo-te suavemente

Ana Luar disse...

"espero-te no manso entardecer
do canto doce dos rouxinóis"
Existirá mais bela forma de esperar?

Beijo-te com todo o carinho que se passeia por dentro de mim.

Ana Luar disse...

passa lá no Ana Luar e recebe com carinho o canto doce da amizade.

Obscuridade Translúcida disse...

A espera é uma virtude, talvez a mais dolorosa e concerteza a mais solitária...

Um bj e fica bem

Juℓi Ribeiro disse...

Querida amiga:

Versos plenos de docura
e sensibilidade...
Teus sentimentos transbordam
no teu talento e se transformam
em palavras.
Passe lá no meu blog
tenho um certificado
para te entregar.
Um abraço carinhoso.